Medicina: Cientistas já conseguem recriar um útero artificial de ovelha

Cientistas desenvolveram um útero artificial experimental de ovelha, que poderá um dia oferecer novas soluções para os humanos e, desta forma, salvar a vida a bebés prematuros.

Quando a tecnologia se alia à medicina, tudo é possível, e até alguns milagres acontecem.

Útero artificial ovelha

Nos Estados Unidos da América, os cientistas do Children’s Hospital of Philadelphia (Hospital de Crianças de Filadélfia) conseguiram manter fetos de borrego (cordeiro) em vida por várias semanas neste útero artificial.

Uma vez colocados nestes sacos transparentes chamados “biobag”, os bebés foram ligados, através do cordão umbilical, a uma máquina, que simplesmente oxigenava o sangue, e o coração fazia o restante.

Útero artificial ovelha

Neste útero artificial, oito borregos (cordeiros) foram capazes de sobreviver quatro semanas. A idade dos animais era equivalente à de um feto humano de 22 a 23 semanas, no período mínimo que um bebé humano pode esperar sobreviver no exterior do útero. Só para recordar, um bebé humano nasce com 40 semanas.

Alan Flake, cirurgião e principal autor desta descoberta, explicou que este dispositivo pode ser considerado como uma ponte entre o útero maternal e o mundo exterior para bebés nascidos entre as 23 e as 28 semanas de gestação.

A equipa já se encontra a debater com o Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos e prevê que os bebés poderiam ser incubados utilizando este sistema muito brevemente em ensaios clínicos.

Esta descoberta poderia certamente ajudar o desenvolvimento de novos tratamentos para crianças prematuras.

Vamos ver assim o que nos reserva o futuro.

Fonte: The Guardian

 

Você gostou do artigo? Então partilhe-o.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.