Cyberbullying: Veja o que é e como se defender

Cyberbullying, uma palavra inglesa muito importante, desconhecida por muitas pessoas.

Veja o que é o cyberbullying e aprenda a proteger os seus filhos.

Cyberbullying-001

Embora isso aconteça com todas as pessoas, inclusive com os adultos em contextos diferentes, hoje as crianças são as que mais sofrem casos de cyberbullying. Portanto neste artigo vamos falar sobre o Cyberbullying no “mundo dos jovens”.

É muito comum ver-se no dia-a-dia pessoas chantageando outras, ameaçando e por vezes usando meios ofensivos para intimidar a sua vítima. Geralmente isso acontece quando a vítima se mostra mais fraca física ou mentalmente.

Mas afinal o que é o Cyberbullying?

Bullying é quando uma pessoa mais forte, ou que se acha esperta, chamada de bully (do inglês “valentão” ou “agressor”), usa e abusa de uma pessoa mais fraca, intimidando-a, insultando-a, humilhando, ofendendo e, por vezes, recorrendo até ao confronto físico, pois sabe que essa pessoa que está a ser vítima, por causa do medo e de se sentir inferior não irá fazer denúncia.

No mundo da Internet, isso também existe e chama-se “Cyberbullying” (do inglês “Assédio virtual”) .

Com o crescimento das tecnologias e comunicações, o bully ou “agressor” tem a vantagem de poder manter-se no “anonimato”, tornando-se mais fácil exercer assim maior pressão na sua vítima.

Como actua o cyberbully ou agressor?

Existem vários meios de praticar o cyberbullying, que geralmente são mais a nível do computador, usando as redes sociais e e-mails. Nas redes sociais poderá colocar fotografias, ou vídeos menos apropriados da vítima. Já nos e-mails poderá recorrer às chantagens, ameaças ou outras práticas de violência psicológica.

Com a facilidade em adquirir novos cartões SIM (chips), usando um número diferente e desconhecido, o agressor também poderá actuar usando as SMS anónimas ou outras aplicações de comunicações como o WhatsApp e Facebook Messenger.

Leia mais:  Emails falsos querendo fazer-se passar por uma notificação de Facebook

Quais os indícios de cyberbullying?

Ao sofrer bullying no mundo virtual, o adolescente irá apresentar alguns indícios, dentro dos quais se destacam:

  • Fechar-se mais em casa, isolar-se socialmente, ou seja, não quer sair de casa, nem com amigos ou colegas;
  • Ficar depressivo;
  • Ter distúrbios de sono (insónias);
  • Ter receio de atender chamadas ou ver SMS;
  • Evitar de usar o computador;
  • Desmotivação;
  • Falta de atenção, ansiedade ou pânico;
  • Timidez.

Em alguns casos, o seu filho poderá começar a “esquecer-se” do telemóvel (celular) em casa. Também poderá querer abandonar as redes sociais, como o Facebook, Instagram e outras, e ainda fechar os diferentes tipos de canais de comunicação, como WhatsApp e Messenger.

Tudo isso são sinais e sintomas de que o seu filho está a ser vítima de cyberbullying. Cabe a você ficar atento ao seu comportamento.

Como proteger o seu filho?

Existem sempre aqueles primeiros sinais que são os mais importantes, pelo que deverá tomar alguma iniciativa o mais rápido possível. Geralmente esses sinais são uma fobia a lugares com pessoas, como por exemplo escola, piscinas e outros lugares públicos. Ele vai tender-se a ficar fechado em casa.

Assim que ele apresentar esses primeiros indícios é importante que os pais comecem a seguir estes pequenos conselhos, de modo a que evite piorar a situação:

Converse com o seu filho

O diálogo é sem dúvida a melhor maneira de se manter perto do seu filho e conhecê-lo melhor. Crie um laço de amizade e de confiança entre si e o seu filho.

Procure saber como correu o dia, quem são os seus amigos, o que fizeram dentro e fora das aulas. Esteja atento com quem o seu filho partilhou o seu e-mail, número de telefone, os seus dados pessoais como fotos e vídeos. Isso tudo são armas dadas aos agressores, que poderão ser usadas contra o seu filho.

Leia mais:  Phishing e os falsos concursos no Facebook

Se o seu filho não quiser responder às suas perguntas, respeite-o, não force, porém faça com que seja ele mesmo a contar o que você necessita saber, colocando outro tipo de perguntas, fazendo uma sondagem.

Não deixe o computador no quarto

O computador que o seu filho utiliza deve estar em local visível, de fácil acesso para todos os que vivem em casa e deverá também ser “vigiado” por você.

Evite deixar o computador no quarto do seu filho, pois ele poderá automaticamente trancar-se no quarto, e sem que você se aperceba, ele poderá sofrer as torturas das ameaças do cyberbully.

Quais as providências a tomar?

Seguem-se algumas providências a tomar, mas lembre-se que nem todos os casos são iguais.

Acompanhamento psicológico

Geralmente uma  vítima do cyberbullying tem sua auto-estima abalada, com isso não consegue manter a calma e nem analisar a situação por qual está passando, por isso muitos podem até ficar traumatizados. Sendo assim os pais devem manter  a calma  e procurar ajuda psicológica para os seus filhos.

Mudança de número de telefone e de e-mail

O aconselhado em situações de cyberbullying é sem dúvida mudar o número de telefone do seu filho e o e-mail, avisando para que ele tome as devidas precauções. A partir desse momento, você deverá tomar conhecimento das pessoas com quem ele irá partilhar o seu novo contacto telefónico e e-mail. Importante será orientar para que ele partilhe os seus dados com pessoas de confiança e próximos da família.

Guarde as mensagens e ameaças de cyberbullying

Por mais difícil que seja para o seu filho, guardar as mensagens e ameaças de cyberbullying pode ser uma boa defesa para ele ou você.

Tudo o que acontece na Internet deixa rastos, por isso é importante que se reúna o máximo de informações, como links das postagens, informações sobre o agressor, mensagens, e-mails e todo o tipo de conteúdo que causou constrangimento ao seu filho.

Leia mais:  Facebook: Dados dos utilizadores vendidos por 5 dólares

Com estes dados na sua mão, o próximo passo será tomar as devidas medidas legais.

Onde apresentar queixa?

Com as provas na mão, procure uma esquadra (delegacia) especializada em crimes cibernéticos.

Considerações finais

Prevenir sempre é o melhor, por isso oriente seus filhos a comunicarem somente com pessoas conhecidas, a não postarem fotos comprometedoras ou intimas em seus perfis, evitar a publicação de informações pessoais na Internet.  Quanto menos divulgarem dados sobre suas vidas, haverá menor chance de receber conteúdos agressivos.

Se você for vítima, procure ajuda tanto na família quanto psicológica, pois você irá sem dúvida precisar.

Se você já praticou ou pratica bullying contra alguém, reflicta no mal que você causar, pois pode haver consequências muito graves, desde psicológicas até ao suicídio da vítima. Essa prática é um crime que tem legislação aplicável a nível mundial e poderá incorrer em penalidades para aqueles que praticam esse tipo de crime.

(Artigo escrito com a colaboração da Pedagoga Joana D’Arc Carrer)

Veja outros perigos da Internet!

Você gostou do artigo? Então partilhe-o.

Sobre: Rui Silva

Fundador e criador do site "i-Técnico - Informática Para Todos".

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.