Terça-feira, Fevereiro 27, 2024
GoogleInteligência Artificial

Bard da Google: mudou de nome para Gemini. Como funciona? (tutorial)

A Google parece trazer mais novidades com a sua inteligência artificial, o Bard, começando pela alteração do próprio nome! A partir de agora chamar-se-á Gemini!

Veja as mudanças e saiba como utilizá-lo.

Gemini - ex-Bard - Google

A Google demorou algum tempo para trazer ao mundo a sua inteligência artificial, o Bard, e concorrer assim directamente com o ChatGPT da OpenAI e o (então) Bing AI. 

Em Fevereiro de 2023, noticiámos aqui no i-Técnico que a Google estaria a desenvolver Bard. Mais tarde, em Julho do mesmo ano, o Bard ficou disponível em Portugal e no Brasil, conforme informámos no nosso artigo.

Neste dia 9 de Fevereiro de 2024, a Google decidiu rebatizar o Bard, o seu chatbot, para Gemini.

O que é o Gemini Google?

Gemini Google, ou simplesmente Gemini, anteriormente conhecido como Bard, é uma família de modelos de linguagem multimodal desenvolvidos pelo Google DeepMind. São modelos de linguagem grande (LLM’s) que podem processar e gerar texto, código, imagens e outros tipos de dados. Considerado o sucessor do LaMDA (Modelo de Linguagem para Aplicações de Diálogo) e do PaLM2, foi lançado a 6 de Dezembro de 2023.

Você poderá usar o Gemini para uma variedade de tarefas, incluindo:

  • Geração (criação) de texto ou criação de conteúdo: O Gemini pode gerar texto numa variedade de estilos, incluindo artigos de notícias, código, e-mail, etc.
  • Tradução de idiomas: O Gemini pode traduzir texto de uma língua para outra, por exemplo do Português de Portugal para o Inglês e vice-versa.
  • Resposta a perguntas: O Gemini pode responder a perguntas de forma informativa e abrangente, mesmo que sejam estranhas, desafiadoras ou abertas.
  • Automação de tarefas: O Gemini pode ajudar o utilizador a automatizar tarefas que de outra forma seriam demoradas ou tediosas.

O que muda com o Gemini?

Em primeiro lugar, muda o nome, o Bard passou a chamar-se Gemini. Esta mudança não era nada de novo, uma vez que o projecto já tinha sido apresentado em Dezembro, sob três formatos (Gemini Ultra, Pro e Nano) para fazer face ao GPT-4. 

Bard: Já está disponível em Portugal e no Brasil. Vamos testar!

Depois, o antigo URL bard.google.com aponta para o novo URL gemini.google.com/app. Com esse encaminhamento, o selo que mostrava que se tratava de uma versão experimental desapareceu (ver artigo do Bard, clicando aqui).

Mas, a Google não se limitou a essas mudanças! Pois, a Google fez uma limpeza na interface do ex-Bard, e aproveitou para tornar o site mais fluído.

Já é possível usar o Gemini e conversar com ele, pois ele está disponível em mais de 40 idiomas e mais de 230 países e territórios. No entanto, com as aplicações móveis, como iremos ver mais à frente, ainda não está disponível em Portugal para Android.

Ademais, também está disponível uma nova versão que será paga, chamada “Gemini Advanced”. Fará parte do novo plano IA Google One Premium e custará 21,99€ por mês. Poderá experimentá-lo gratuitamente durante dois meses, sem quaisquer custos. A Google também tenciona integrar esta tecnologia nas suas aplicações/serviços, como o Gmail, Docs, Sheets e Slides.

Para alertar os proprietários de contas Google, que já tenham usado o Bard, a Google está a enviar um e-mail para o Gmail em inglês “Bard is now Gemini”, através da conta que reservaram no Bard. Poderá traduzi-lo clicando lá no e-mail “Traduzir para português“.

Adiante e voltando para o nosso foco, nada melhor do que visitar o site e ver o que muda. E é isso mesmo que vamos fazer.

Na prática, como é o Gemini?

Ao iniciar uma nova sessão, isto é, quando entrar na sua conta Google e abrir o Gemini, aparecerá essa mensagem de boas-vindas.

Gemini (da Google)

Na mensagem, existe um link a encaminhar para o “Centro de Privacidade das Apps Gemini” que explica como os dados do utilizador são tratados. 

Aconselho que visite esse site “Centro de Privacidade das Apps Gemini”. Caso tenha clicado no ✖️ ou em “Concluído” sem ler nada, poderá fazê-lo clicando na barra azul escuro “Veja as últimas atualizações do Centro de Privacidade das Apps Gemini“, que se encontra no topo do site ou  clicando aqui.

Quando se entra pela primeira vez, pode ler-se uma mensagem muito importante e cada utilizador deve ficar ciente de que isso pode acontecer: “As suas conversas são processadas por revisores humanos para melhorar as tecnologias que suportam as Apps Gemini. Não introduza nada que não gostaria que fosse revisto ou usado.”.

Isto significa que, ao conversar com o Gemini, o utilizador está a melhorar os serviços Google. Consequentemente, os revisores especializados necessitam processar as conversas.

Daí que fica o alerta da própria Google:  não introduza nada que não gostaria que um revisor visse ou que a Google usasse.  Por exemplo, não se aconselha que introduza dados pessoais, como o seu nome pessoal completo, morada e outros dados de identificação pessoal. Imagens sem direitos de autor ou pessoais também não devem ser enviadas para o Gemini.

Se desejar pode ainda desactivar a “Atividade das Apps Gemini” (veremos isso mais à frente).

Na página do Chatbot, encontramos do lado esquerdo o menu que apresentará o botão ➕ para iniciar uma nova conversa, o botão ❔(Ajuda), o botão “Atividade” (uma seta circular para a esquerda) e Definições Configurações. Dependendo da resolução (largura) do seu ecrã (🇧🇷tela), esse menu poderá ser substituído apenas por 3 traços horizontais em ecrãs (🇧🇷telas) mais pequenos.

Na zona central, a parte superior apresentará a conversa com o Gemini. E, na parte inferior onde diz “Introduza um comando aqui“, é onde o utilizador deve colocar o cursor e escrever para o Gemini. É como se estivesse numa aplicação de comunicação como o WhatsApp.

Como ter acesso ao Gemini?

Você pode ter acesso gratuitamente ao Gemini, através de uma conta Google. Se você tiver o Gmail, então você tem uma conta Google. Terá de fazer login na sua conta e ir ao seguinte endereço:

https://gemini.google.com/app

Como usar o Gemini?

Primeiramente, precisará de uma conta Google e estar logado nela, ou seja, ter a sessão aberta, por exemplo, no Gmail.

Para usar o Gemini, tal como dito, coloque o cursor onde diz “Introduza um comando aqui“, para começar a escrever para o Gemini. Se quiser, poderá adicionar uma imagem clicando no botão “Carregar imagem“. Caso prefira falar, poderá clicar no micro🎙️. Tanto para carregar imagem como para falar, o site poderá pedir para que partilhe o micro e/ou o acesso às pastas do seu computador.

É tão simples quanto isso! Vamos então começar por perguntar ao Gemini a primeira questão. Nada melhor do que pedir para que se apresente. Colocamos o seguinte comando “Como te chamas e o que posso fazer contigo?”.

Não tardou nada, o Gemini começou logo a redigir e a resposta foi:

Chamo-me Bard, um modelo de linguagem factual do Google AI, treinado em um enorme conjunto de dados de texto e código. Posso gerar texto, traduzir idiomas, escrever diferentes tipos de conteúdo criativo e responder às suas perguntas de forma informativa, mesmo que sejam abertas, desafiadoras ou estranhas. Ainda estou em desenvolvimento, mas aprendi a realizar muitos tipos de tarefas, incluindo:

  • Vou tentar o meu melhor para seguir suas instruções e completar seus pedidos com atenção.
  • Usarei meu conhecimento para responder às suas perguntas de forma abrangente e informativa, mesmo que sejam abertas, desafiadoras ou estranhas.
  • Vou gerar diferentes formatos de texto criativo, como poemas, código, scripts, peças musicais, e-mail, cartas, etc. Vou tentar o meu melhor para cumprir todos os seus requisitos.

Por favor, deixe-me saber se você tiver algum feedback ou sugestão.”Resposta do Gemini

Poderíamos continuar a nossa conversa, perguntando mais coisas. No entanto, por agora, é o suficiente para ter uma noção.

Explorando os comandos das respostas

Continuando, agora poderíamos classificar a resposta com um 👍ou 👎.

Ademais, também podemos mudar o tipo de resposta do Gemini e colocar uma resposta “Mais curta“, “Mais longa“, “Mais simples“, “Mais informal” ou “Mais profissional“. Confira na seguinte imagem:

Poderá também partilhar a conversa através de um link público, exportar para o Docs ou criar um rascunho no Gmail.

Confira na seguinte imagem:

Ao clicar no “G” de Google, logo abaixo da conversa, aparecerão os resultados de onde o Gemini se baseou para a sua resposta. E logo ao lado, nos 3 pontos verticais, poderá copiar a resposta clicando em “Copiar” ou denunciar a resposta clicando em “Denunciar problema legal“.

Como consultar a actividade do Gemini?

Continuando, poderá consultar toda a actividade clicando lá no site onde diz “Atividade” ou clicando aqui. Confira a seguinte imagem:

Gemini - Actividade

Aqui, você terá todo o histórico das conversas que teve com o Gemini.

As definições (🇧🇷configurações) do Gemini

Para ter acesso às definições (🇧🇷configurações) deverá clicar no “ConfiguraçõesDefinições” no menu do lado esquerdo. Confira na seguinte imagem:

Gemini - Definições

Aqui, você poderá ver os seus links públicos (aqueles que aprendeu a partilhar), configurar o tema (claro ou escuro) e as respostas em tempo real.

Aplicações móveis

A aplicação Google Gemini já está disponível na Google Play Store (clique aqui). No entanto, em Portugal, ainda não é possível instalar a app através da loja oficial da Google.

Se quiser experimentar, terá de ver nas lojas não oficiais como as que citámos neste link (clique aqui).

⚠️ Contanto, desde já alertamos para o risco desses ficheiros (🇧🇷arquivos) com extensão APK serem modificados e conterem vírus. Se desejar, poderá ainda optar por usar uma VPN e mudar a localização geográfica do seu smartphone para os EUA (Estados Unidos da América). Mas, mais uma vez, isso poderá causar problemas a nível de segurança da sua conta Google, porque o Google poderá pensar que se trata de um ataque de Phishing (clique aqui para saber mais sobre Phishing). Por outras palavras, o Google poderá pensar que não é você quem está a utilizar a sua conta e, consequentemente, poderá até bloqueá-la.

Nossa opinião

Pude ver que o site está mesmo muito mais fluído com minimalismo para evitar distracções e bem responsivo, ou seja, é rápido a formular as respostas.

Em conclusão, o que posso dizer é que está no bom caminho para rivalizar directamente quer com o Microsoft Copilot (antigamente, Bing AI) quer com o ChatGPT da OpenAI.

Antes de finalizar com a nossa pergunta habitual, vale lembrar o que foi dito no início:  não introduza nada que não gostaria que um revisor visse ou que a Google usasse. 

Agora é a sua vez de experimentar e deixar-nos o seu comentário aqui em baixo.

E você, se já experimentou, diga-nos o que pensou do Gemini. Se ainda não usou, gostaríamos de saber se vai usar.

 

A sua ajuda é muito importante! Dê-nos uma ajuda e divulgue este artigo. Partilhe-o nas redes sociais!

Rui Silva

Sempre fui apaixonado pela Informática. Aos 11 anos, tive a minha primeira experiência com o ZX Spectrum +2B, aquele teclado com um leitor de cassetes. Em 2011, criei o site "i-Técnico - Informática Para Todos".

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Partilhar é ajudar.

Partilhe este artigo nas redes sociais!

Assim, vai ajudar-nos a crescer mais. 😉 É só clicar na rede social onde deseja partilhar.